ARQUEOLOGIA IBEROAMERICANA - ISSN 1989-4104
Avance de investigación • Vol. 38 (2018), pp. 55-60 • PDF 1.22 MBenglish


Luis Carlos Duarte Cavalcante
Universidade Federal do Piauí (UFPI), Teresina, Brasil
(cavalcanteufpi@gmail.com)


Arqueol. Iberoam.


Resumo
O sítio arqueológico Pedra do Atlas é um abrigo sob-rocha arenítica, localizado na área rural do município de Piripiri, Piauí, Brasil, decorado com 423 pinturas rupestres, além de algumas gravuras rupestres. Recentemente, fragmentos cerâmicos, ocres vermelhos e amarelos e alguns líticos foram encontrados na superfície do solo abrigado. Amostras de eflorescências salinas foram analisadas por fluorescência de raios X por dispersão de energia (EDXRF) e difratometria de raios X (DRX) do pó. Dos padrões de DRX para as amostras de eflorescências salinas, foram identificados sveita, KAl7(NO3)4Cl2(OH)16.8H2O, quartzo, SiO2, alunita, KAl3(SO4)2(OH)6, gipsita, CaSO4.2H2O, e calcita, CaCO3. A análise das eflorescências salinas é muito importante, não apenas de um ponto de vista químico-mineralógico, mas também da arte rupestre e das paredes de arenito que estão em processo acelerado de degradação. Os depósitos salinos estão causando a destruição das pinturas rupestres.

Palavras-chave
Conservação de arte rupestre; eflorescências salinas; arqueometria; Pedra do Atlas.

Fechas
Recibido: 7-5-2018. Aceptado: 11-5-2018. Publicado: 19-5-2018.

Cómo citar
Duarte Cavalcante, L. C. 2018.
Caracterização químico-mineralógica de eflorescências salinas do sítio arqueológico Pedra do Atlas. Arqueología Iberoamericana 38: 55-60. http://purl.org/aia/3807.

Agradecimentos
Ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) pela concessão da bolsa PQ (processo 313431/2017-5), ao Sr. Luiz Carlos da Silva (CDTN) pelas medidas de EDXRF, e ao Sr. João Batista Santos Barbosa (CDTN) pelas análises de DRX.

Referências

Cavalcante, L. C. D.

— 2012. Caracterização arqueométrica de pinturas rupestres pré-históricas, pigmentos minerais naturais e eflorescências salinas de sítios arqueológicos. Tese de Doutorado, Ciências (Química). Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais. Google Scholar.

— 2015. Pinturas rupestres da região arqueológica de Piripiri, Piauí, Brasil. Arqueología Iberoamericana 26: 6-12. Google Scholar.

— 2016. Sítios arqueológicos do Vale do Buriti dos Cavalos: uma breve revisão. Arqueología Iberoamericana 30: 16-22. Google Scholar.

Cavalcante, L. C. D., J. D. Fabris & M. C. S. M. Lage. 2015. Eflorescências salinas do sítio de arte rupestre Pedra do Castelo, Piauí, Brasil. Clio Arqueológica 30/1: 120-142. Google Scholar.

Cavalcante, L. C. D. & A. A. Rodrigues.

— 2016a. Arte rupestre e problemas de conservação do sítio arqueológico Caminho da Caiçara I. Arqueología Iberoamericana 31: 20-26. Google Scholar.

— 2016b. Fazendinha I: descoberta de um novo sítio pré-histórico e descrição preliminar de suas inscrições rupestres e problemas de conservação. Arqueología Iberoamericana 30: 44-50. Google Scholar.

Cavalcante, L. C. D., A. A. Rodrigues, E. N. L. Costa, H. K. S. B. Silva, P. R. A. Rodrigues, P. F. Oliveira, Y. R. V. Alves & J. D. Fabris. 2014. Pedra do Cantagalo I: uma síntese das pesquisas arqueológicas. Arqueología Iberoamericana 23: 45-60. Google Scholar.

Cavalcante, L. C. D. & P. R. A. Rodrigues. 2009. Análise dos registros rupestres e levantamento dos problemas de conservação do sítio Pedra do Atlas, Piripiri, Piauí. Clio Arqueológica 24/2: 154-173. Google Scholar.

Farias Filho, B. B., M. C. S. M. Lage & R. A. M. Lima. 2017. Estudo químico de eflorescencias salinas do sítio arqueológico Toca Exú do Jurubeba do Parque Nacional Serra da Capivara, Piauí, Brasil. Química Nova 40/9: 983-988. Google Scholar.

Morgado, A. F. 1999. Águas naturais. Apostila da Disciplina Química Tecnológica (EQA 5114). Departamento de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos, Universidade Federal de Santa Catarina.

NAP-UFPI/IPHAN. 1986-2006. Cadastramento e mapeamento dos sítios arqueológicos do Piauí. Relatório de atividades do projeto de Levantamento e mapeamento dos sítios arqueológicos do Piauí. 1.ª a 10.ª etapas. Teresina: IPHAN-UFPI-FUNDEC.

Raij, B. V. & O. A. Camargo. 1973. Sílica solúvel em solos. Bragantia 32/11: 223-236. Google Scholar.


Licencia Creative Commons

© 2018 ARQUEOLOGÍA IBEROAMERICANA. ISSN 1989-4104. Licencia CC BY 3.0 ES.
Revista científica editada por Pascual Izquierdo-Egea. Graus, Spain.
Compatible W3C HTML 4.01. Contacto